UCRAN- União dos Cordelistas
e Repentistas do Nordeste

Rua Teixeira Leite, 263- São Paulo/SP

 

 

 

Site em Construção.

 

 

 



11-3208-0819 com o poeta Sebastião Marinho

UCRAN- São Paulo repentistasnota10@yahoo.com.br

A entidade, fundada em 1988, em São Paulo, é formada por artistas populares, apologistas e pesquisadores!

Contamos com repentistas e cordelistas para todo tipo de evento e apresentação. (escolas, empresas, faculdades etc). A magia dos versos improvisados ao som da viola vai encantar o público!
Contato: 11-3208-0819 com o poeta Sebastião Marinho.

 



Sebastião Marinho é cantador repentista profissional desde 1968, natural de Solânea, estado da Paraíba. Desde 1988 é o presidente-fundador da Ucran-União dos Cantadores, Repentistas e Apologistas do Nordeste. É um poeta carismático que encanta seus ouvintes com sua voz serena e  os versos brilhantes. (Trechos da matéria feita no final dos anos 80 na revista "Quinta Roda")  Essa atividade é, desde os sete anos, a grande paixão da vida de Sebastião Marinho, um paraibano de Solânea, que com seu jeito sereno e sonhador já passou por muitos problemas sem nunca desistir dessa opção; a de viver como um cantador das coisas do nordeste. E para isso ele teve que enfrentar não só as críticas da família, como também as constantes faltas de dinheiro e perspectivas. A família  de Sebastião Marinho ainda tentou convencê-lo a procurar uma profissão mais estável e, aos 13 anos, fizeram com que ele fosse cuidar de uma mercearia. Mas sempre que tinha alguma cantoria, ele fechava o estabelecimento e ia desafiar os velhos cantadores. Quando fez dezoito anos, Sebastião achou que já era tempo de "conhecer mundo", e partiu para a cidade onde montou um programa na rádio Difusora de Bananeiras. Residente em São Paulo há muitos anos, preserva a cultura nordestina com muito afeto e aceitação por muitas plateias que se apresenta.

LUZIVAN MATHIAS- 15/08/1971, Paraibana de Cuité. É a única improvisadora profissional que reside em São Paulo, incentivada por Sebastião Marinho, vem se aperfeiçoando no universo da cantoria e hoje é considerada e respeitada no cenário do repentismo. Gravou seu primeiro CD em 2001, com Lucinha Saraiva e prepara o segundo para o ano de 2007, ao lado de Sebastião Marinho. É freqüente participante de festivais de viola em São Paulo, tendo já ganho o 1o lugar em maio 2002.  Participante de diversas apresentações temáticas em entidades como Sesc, sesi, prefeituras, escolas, faculdades, empresas, etc.

Andorinha é o nome artístico de José Saturnino dos Santos. É natural de São Bento do Una (PE). Reside em São Paulo desde meados da década de 70. Concorreu em muitos festivais no Nordeste e em São Paulo, sendo 7 vezes campeão. Tem 5 LPs e 3 CDs gravados. Participou, em parceria com Sebastião Marinho, de muitos programas de televisão, como o Viola, Minha Viola, de Inezita Barroso, na rede TV Cultura; do Programa J. Silvestre; de noticiários do SPTV, e do primeiro programa Altas Horas, do apresentador Serginho Groisman, na rede Globo. Participou de um comercial do Governo Federal e de outro das tintas Suvinil e dos calçados Azaléia. Também contracenou no filme Saudade do Futuro, de César Paes e Marie-Clémence, exibido em 2000. É vice presidente da Ucran. Até o final dos anos 80 trabalhou como auxiliar de enfermagem. 


fotoSebiAndboa.jpg


 

LITERATURA DE CORDEL ou simplesmente cordel é o nome dado aos pequenos folhetos, escrito em versos por poetas populares, dentro da tradição nordestina. A forma mais conhecida é dos folhetos, mais ou menos do tamanho de uma folha de sulfite dobrada em quatro partes. As capas, geralmente, são feitas em xilogravuras, desenhos talhados na madeira. Os temas dos folhetos são muito variados, desde fatos reais, imaginados, histórias de personagens marcantes, etc. Os poetas compôem suas histórias ou poesias de acordo com a sua imaginação. As regras e modalidades para a construção das estrofes são as mesmas do repente.  

 

 REPENTE DE VIOLA - Aqui você vai saber sobre a autêntica cantoria de improviso nordestina! Os cantadores repentistas utilizam a viola como base para os versos improvisados. O conteúdo das apresentações variam de acordo com os pedidos da platéia, pois os poetas são preparados para responderem os temas de improviso, numa incrível demonstração de agilidade mental e criatividade. Esta forma de improviso poético é uma das autênticas manifestações de cultura tradicional do nordeste.  

 

XILOGRAVURA é uma técnica de impressão em madeira, surgida no oriente antigo há mais de 5.000 anos. No nordeste brasileiro, os cordelistas utilizam esta forma de impressão para fazer as capas dos seus folhetos de cordel, ou seja a xilogravura faz parte da tradição dos folhetos. Muitos cordelistas, mesmo fazendo livros, mantém as ilustrações em xilogravuras para dar continuidade à tradição, embora outros tantos poetas, não a utilizam.